Na madrugada de ontem (30), por volta das 2h45, quatro homens tentaram explodir os  caixas eletrônicos do banco do Bradesco, da cidade de Formosa da Serra Negra, localizada na região centro-sul do Maranhão. A ação criminosa foi frustrada por policiais militares do município, houve troca de tiros e dois assaltantes foram baleados; os militares socorreram a dupla, que não resistiu e morreu quando chegou ao hospital.
De acordo com informações obtidas pelo Jornal Pequeno, Formosa da Serra Negra possui um contingente de oito policiais militares, cinco participaram da abordagem aos assaltantes e três se posicionaram nas saídas da cidade. No entanto, os dois assaltantes que foram atingidos pelos tiros conseguiram fugir, sem deixar pistas.
Bandido morto em Serra Negra 2
Jorge da Silva Costa e seu colega de crime foram mortos em troca de tiros. (Foto: G. Ferreira)
No interior da agência bancária, os policiais apreenderam três bananas de dinamite, que seriam usadas na explosão dos caixas eletrônicos; além de um pé-de-cabra, uma escopeta calibre 12, nove munições, duas lanternas, um colete a prova de balas, uma jaqueta preta, duas máscaras e duas motocicletas Honda Bros vermelhas, uma delas com placa de Grajaú. Segundo os militares, uma das motos teria sido tomada de assalto na MA-006, próximo a Grajaú sentido Formosa, quando o dono do veículo foi amarrado.
Conforme o capitão Jean Levi Cavalcante, capitão da PM de Grajaú, esta foi a terceira vez que esses assaltantes estiveram na cidade, sendo a última há menos de 15 dias.
Os corpos foram levados para o Hospital Geral e Grajaú (HGG), onde apenas um foi identificado, trata-se de Jorge da Silva Costa.
Após o confronto, cinco policiais, comandados pelo capitão Jean, foram para a cidade de Formosa da Serra Negra, a fim de reforçar a ação policial no município. A polícia, agora, está em busca da dupla que conseguiu fugir. (Por Wellington Rabello, com informações do blog “De Olho em Grajaú”)
O deputado federal Carlos Brandão (PSDB-MA) denunciou a falta de investimentos das companhias que atuam no sistema de telefonia móvel do país. O alerta foi dado durante a Audiência Pública ontem no Congresso Nacional para debater diretamente com as operadoras o aumento no número de reclamações nos órgãos de defesa do consumidor.
O último levantamento da Anatel aponta que houve um aumento de 35% no número de reclamações através de entidades em defesa dos direitos dos consumidores. Além disso, o debate dos parlamentares tratou sobre o compromisso das empresas de investir R$ 30,4 bilhões no setor até 2016 – conforme determinação do Governo Federal. Mas os números da Anatel mostram que as empresas investiram menos de 3% do valor desde o início do ano, contrariando o acordo.
“A telefonia móvel no Brasil está um verdadeiro caos. As empresas não investem, e o usuário paga muito caro por um serviço ineficiente. Enquanto não houver rigor nessa fiscalização pelas agências reguladoras o maior prejudicado continuará sendo o consumidor final”, protestou Carlos Brandão.
A justificativa apresentada pelos representantes das operadoras é a baixa quantidade de antenas instaladas. De acordo com os técnicos representantes das empresas, há mais de 250 leis que impedem a instalação de antenas essenciais ao aumento da rede. O acordo com a Anatel prevê que sejam colocadas pelo menos 10 mil antenas nas principais capitais até o próximo ano para solucionar o problema. Porém, não há um trabalho de acompanhamento direto sobre o processo de instalação das antenas aguardadas.
A audiência pública foi realizada pela Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara. Por sugestão de Brandão e outros parlamentares presente no evento, deverá ser instalado um grupo de trabalho para acompanhar a fiscalização permanente da Anatel junto às operadoras.
FONTE: JORNAL PEQUENO