Unisulma sedia palestra sobre os 50 anos do Golpe Militar


Cerca de 200 pessoas participaram do momento que discutiu época histórica do Brasil
Coord. do curso de Direito Prof. Artur, Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, Washington Luiz de Oliveira,  Lula Almeida Vice-pres. da Unisulma  e Dr. Marlon Reis Juiz da 2ª Vara da Comarca de João Lisboa.

Foto: Fontinelle
Na noite de ontem, 31, o auditório da faculdade Unisulma esteve lotado com o debate sobre os “50 Anos do Golpe Militar: uma análise histórica”. O evento teve a participação de acadêmicos de Direito e Serviço Social, bem como profissionais e alunos das mais variadas áreas do conhecimento. A palestra foi conferida pelo Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão, Joaquim Washington Luiz de Oliveira, e o juiz da 2ª Vara da Comarca de João Lisboa e coordenador do Movimento de Combate à Corrupção Eleitoral, Márlon Jacinto Reis.

Foto: Fontinelle
A mesa de abertura teve a presença do presidente da instituição, Dimas Salustiano, do vice-presidente Lula Almeida e do coordenador do curso de Direito, Artur da Rocha. “Aqui nós temos a liberdade para o pluralismo político, o embate de ideias e as divergências para as mais diversas expressões da literatura, música e cultura brasileira”, ressaltou o presidente da Unisulma. Em seguida, os presentes acompanharam os palestrantes.
Para o conselheiro do TCE/MA, Washington Luiz, “um debate como este nos faz refletir, repensar a construção do processo democrático brasileiro, de liberdades políticas para evitarmos que tragédias como aconteceram no dia 1º de abril de 1964 se repitam”, enfatizou. 
Foto: Fontinelle
O evento discutiu os 50 anos do movimento que derrubou o governo do presidente João Goulart e instaurou o regime militar de 64. Foram abordados aspectos que retratam a ordem pública da época sob o ponto de vista da instauração da “ditadura” no país. “É um momento importantíssimo para refletir um momento do passado que marca a valorização da democracia que temos hoje. É preciso rejeitar toda forma de autoritarismo que, infelizmente, ainda segue sob diversas formas na vida política, social e humana. Precisamos continuar marchando rumo a uma democracia plena”, destacou o juiz Márlon Reis.
Foto: Fontinelle
Foto: Fontinelle


 Durante o debate no auditório Jorge Mendes, em uma sala de aula da Unisulma estava sendo realizada também uma palestra da pesquisadora e militante do Centro de Defesa da Vida e dos Direitos Humanos de Açailândia, Mariana de La Fuente. Na oportunidade, acadêmicos do 4º, 6º e 7º de Serviço Social marcaram presença no debate. A iniciativa da professora Fabrícia Carvalho buscou fazer um resgate histórico desse movimento, além de reforçar a luta pelos direitos humanos. Os professores Paulo Menis, Heloísa Helena e Maria Zenilda também participaram das discussões.



Fonte: ASCOM  UNISULMA

Postar um comentário

Enquete

Canal de Videos

Últimas Notícias

Encontre-nos no Facebook

CNT Oline

item