PEDRO VENTURA FOI ASSASSINADO, O CORPO FOI ACHADO JÁ EM ESTADO DE DECOMPOSIÇÃO.


Célia Teotônio confessa assassinato de Pedro Ventura

Célia e os dois irmãos estão presos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís. - foto: Reprodução/ TV Mirante
IMPERATRIZ – Vinte dias após a polícia ter achado o corpo do microempresário Pedro Ventura, já em avançado estado de decomposição e enterrado em cova rasa, a principal suspeita e ex-mulher de Pedro, Célia Teotônio, confessou o crime para a polícia. Segundo o delegado regional, Eduardo Galvão, ela contou detalhes do crime, e o relato coincide com as investigações da Polícia Civil.

Célia disse que matou Pedro Ventura a tiros dentro da casa do casal, depois procurou um dos irmãos para dá sumiço no corpo, retornou para a casa e queimou os vestígios do crime que estavam na residência, bem como limpou as marcas de sangue que ficaram no local. Depois, com o uso de reagente, a polícia encontrou vestígios de sangue na casa.

“Ela traz a informação de que matou ele nas dependências do quarto, no fundo casa, onde foi encontrada a maior quantidade de sangue. Afirma que ele foi morto com dois tiros na cabeça. As posições de onde foram feitos os disparos, que a gente chama de orifício de entrada, correspondem com o que ela verbalizou pra gente”, afirmou o delegado regional.

Ainda de acordo com o delegado, Célia dá detalhes da fraude processual como a cadeira onde ele tinha sido alvejado e a forma como a casa foi limpa. Na madrugada do dia em que Pedro sumiu, foram feitas fogueiras na casa, e várias testemunhas relatam isso.

“Segundo ela era o material sendo queimado, tanto a cadeiras que ele estava como os lençóis sujos de sangue e outros pertences. Em seguida, ela disse que vai em busca do irmão dela, o Laércio, mas não encontra ele. Daniel se prontifica a ajudá-la. Eles vão até a residência, segue as duas caminhonetes juntas. A caminhonete dele fica em um posto e eles seguem na caminhonete que aparece nas filmagens toda fechada. Ele pega o corpo e, a partir daí, ele sai com o corpo, ela e o filho do casal até as proximidades do municípios de Amarante”, relata o delegado.

Eduardo Galvão disse que Célia desceu no local onde o irmão dela ia deixar o corpo e foi até onde ele foi enterrado. Segundo o delegado, ela só não viu o corpo sendo enterrado, mas até o local ela sabia precisar. Daniel Teotônio, que é irmão de Célia, também confessou a participação no crime e, para a polícia, os relatos dele coincidem com os fatos apurados na investigação.

“A confissão dos dois realmente se encaixam, a única questão é que eles retiram o Laércio da cena do crime, das circunstâncias do crime. Mas os relatos se encaixam, ela no homicídio, na ocultação e na fraude processual. Ele na ocultação e na fraude processual”, finaliza Eduardo Galvão.

Célia e os dois irmãos estão presos no Complexo Penitenciário de Pedrinhas, em São Luís.

Depois de quase cinco meses desaparecido, o corpo do microempresário Pedro Ventura foi achado no fim da tarde da quarta-feira (13) no povoado Saramandaia, às margens da MA-122, no município de Buritirana. O corpo, já em avançado estado de decomposição, foi encaminhado para o Instituto Médico Legal (IML), em Imperatriz, na quinta-feira (14), e reconhecido pela família.(fonte Imirante).

Notícias Relacionadas

POLICIAL 1607162329620632852

Postar um comentário

Câmara Municipal de Imperatriz

Câmara Municipal de Imperatriz
FAZENDO MAIS PELA NOSSA CIDADE

Enquete

Canal de Videos

Últimas Notícias

Encontre-nos no Facebook

CNT Oline

item