Que absurdo! Prefeito interino de Santa Inês desconfia dos juízes da sua região

O prefeito interino de Santa Inês, Dino do PT, chegou as raias da loucura! Atropelou o bom senso para cair no ridículo e tenta enlamear a carreira do juiz que atendeu ao pedido dos seus advogados e, assim, cumprir a lei que determinou sua posse no cargo de prefeito. Isto em razão do titular permanecer preso em Pedrinhas, depois do prazo estabelecido pela Lei Orgânica daquele município para que ele pudesse permanecer fora da cidade.
Agora, pasmem os senhores, o prefeito interino não aceita de maneira alguma que o mesmo juiz Alessandro Bandeira Figueiredo. determine a reintegração de José Ribamar Alves ao cargo e levanta suspeitas ao magistrado, ao ponto de ingressar com uma Ação de Suspeição, além de pedir para a Corregedoria que escolhe outro juiz fora da Comarca da região para julgar o caso.
Pior ainda foi solicitar a intervenção da Associação dos Magistrados do Maranhão para que não deixe o juiz que lhe colocou no cargo seja a autoridades legal para acatar ou não o pleito dos advogados de Ribamar Alves. É que informaram ao prefeito que a AMMA estaria atuando contra o prefeito titular do cargo por causa de ato de Alves contra a juíza Larissa Tupinanbá.
Para Dino do PT, a presença do juiz ou de qualquer outro da região não garante a imparcialidade e transparência nos autos do processo, colocando os magistrados sob suspeitas de tomadas de decisões como se a pena estivesse atrelada ao pagamento de sentença. Que absurdo! Vejam documentos abaixo encaminhados para a CGJ e à AMMA:


Que prefeito interino é esse que não acredita na Justiça do Maranhão. Que pedido mais esdruxulo é esse? Será que ele quer escolher qual o juiz que deve ficar naquela Comarca? Qual posição deve tomar a AMMA e a Corregedoria Geral de Justiça diante de tamanho desrespeito?


“Tenham a máxima de atenção e lisura na indicação de qualquer juiz que venha substituir a Dra. Denyse Cysneiro Milhomem”, orienta Dino do PT, como se ele estivesse acima dos juízes e das leis. .

E é mais ferino e desrespeitador quando pede que o juiz a ser escolhido não pode ser da região. “Portanto, qualquer designação de magistrado para atuar nos autos dos processos envolvendo o ex-prefeito municipal, Dr. José Ribamar Alves Costa Alves, necessariamente, será feita pela CGJ/MA, razão pela qual pleiteasse à nomeação de juiz alheio a qualquer pressão externa, e em especial, que não tenha atuação na região, garantindo, concessão vênia, à máxima transparência, lisura, imparcialidade e independência na condução dos processos, o que almeja o Poder Judiciário”. (fonte: Luis Cardoso)

Notícias Relacionadas

POLITICA 4843668873826505089

Postar um comentário

Enquete

Canal de Videos

Últimas Notícias

Encontre-nos no Facebook

CNT Oline

item