Prima de Scheila Carvalho pode ter sido alvo de tráfico de mulheres

Jovem de Juiz de Fora estava desaparecida e foi encontrada nesta quinta.Na web, artista comemorou o resgate; polícia já tem pistas dos suspeitos.


Scheila Carvalho pediu ajuda no Instagram para encontrar prima desaparecida (Foto: Reprodução/Instagram)
A jovem Caroline Magacho de Carvalho, de 18 anos, prima da ex-dançarina do grupo “É o Tchan”, Scheila Carvalho, que estava desaparecida desde a última quarta-feira (18), foi resgatada nesta quinta-feira (19) em uma ação conjunta entre a Polícia Civil de Minas Gerais e do Rio de Janeiro.

A polícia divulgou o desfecho do caso nesta sexta-feira (20), em Juiz de Fora, onde a vítima mora. Ela foi encontrada em um apartamento no Bairro Recreio dos Bandeirantes, na capital fluminense, sozinha. A Polícia acredita que o caso possa ter ligação com o tráfico internacional de mulheres.

Nas redes sociais, Scheila Carvalho comemorou o desfecho do desaparecimento. Em um vídeo publicado no Instagram, ela agradeceu o apoio dos fãs e dos policiais. “Estou aqui para agradecer primeiramente a Deus e, claro, a vocês que ficaram na torcida, oraram, se preocuparam. A minha prima foi encontrada e ela está muito bem", disse.
Scheila Carvalho comemorou resgate da prima e agradeceu apoio dos fãs
(Foto: Reprodução/Instagram)
Scheila Carvalho também explicou que o caso, que precisou ser tratado com sigilo. No dia do desaparecimento, Scheila já havia compartilhando uma foto da prima, informando o desparecimento e pedido ajuda. A mensagem foi deletada após o encontro da jovem. O G1 entrou em contato com a assessoria da artista, que ainda não se posicionou oficialmente.

Investigações e possível tráfico internacional de mulheres
De acordo com o delegado responsável pelas investigações, Felipe Fonseca, o caso foi tratado como uma prioridade absoluta partir desta quinta, quando os policiais começaram a reconstruir os passos dela para entender o que estava acontecendo.

“Um homem esteve com ela na rodoviária, adquiriu um bilhete e a vítima embarcou para o Rio. A partir de então, tentamos buscar a real identidade da jovem e chegamos a um número de telefone provável do autor, que estaria com ela”, explicou.
Delegado Felipe Fonseca acredita em possíveltráfico de mulheres
 (Foto: Reprodução/TV Integração)
Fonseca revelou que outro homem estaria envolvido com o crime. Os dois já foram identificados e podem ser presos a qualquer momento. “Chegamos a fazer um contato com ele e acreditamos que o próprio autor deu o alerta para que outro homem, que estaria com ela no apartamento, saísse do imóvel. O autor do Rio tem um perfil com traços fortes com indivíduos do México, se classifica como mexicano nas redes sociais. Já sabemos quem são os dois e tudo já encaminhado para dar sequência à operação”, acrescentou Fonseca.

O delegado também contou que a vítima tem vulnerabilidade psíquica e que os autores sabiam disso. “A família tem laudos, ela fez tratamentos e quem a levou tinha conhecimento disso e se aproveitou da situação”, afirmou.

A Polícia suspeita que o caso tenha ligação com o tráfico internacional de mulheres. “Ainda vamos realizar um contato mais específico com a jovem. Precisamos resgatar dela alguns traços que vão nos levar a linhas de investigações, mas pela forma que eles agiram, temos certeza que o ato foi altamente criminoso. Estamos verificando se há possibilidade de tráfico de mulheres, inclusive internacional”, concluiu o delegado. (fonte:Do G1 Zona da Mata)

Notícias Relacionadas

GERAL 7054959964413887

Postar um comentário

Enquete

Canal de Videos

Últimas Notícias

Encontre-nos no Facebook

CNT Oline

item